A troca periódica dos componentes de um veículo é recomendação das montadoras e especialistas. O motorista deve estar atento e conhecer a vida útil das peças para providenciar a substituição no prazo correto.

Não importa a marca ou modelo, a manutenção preventiva é importante para todos os veículos, quer sejam carros ou motos. As falhas na manutenção costumam provocar problemas mecânicos caros, além de acidentes.

Eles precisam ser mantidos em boas condições e para isso precisamos saber quais são os itens de manutenção preventiva obrigatória. Especialistas do setor foram consultados e falaram sobre as trocas e o tempo médio entre elas. Abaixo você pode consultar o calendário para trocas obrigatórias e inspeção periódica.

São os componentes que tem hora certa para serem trocados:

Alinhamento dos pneus – 10 a 20 mil km;
Correia dentada – 40 mil a 100 mil km, em média 60 mil km;
Correia do compressor do ar-condicionado – Com a correia dentada;
Correia do alternador – Com a correia dentada;
Correia da bomba d’água – Com a correia dentada;
Filtro de combustível – 20 mil km;
Filtro de óleo – Na troca de óleo;
Filtro de ar – Na troca de óleo;
Filtro de cabine antipólen – Anual;
Fluído das transmissões ou câmbio – 60 a 100 mil km ou 2 a 4 anos;
Óleo de freio – Seis meses a um ano;
Limpeza do ar-condicionado – Anual;
Líquido de arrefecimento – A cada dois anos;
Limpeza do sistema de arrefecimento – Na troca do líquido de arrefecimento;
Óleo lubrificante – A cada 5 mil km, 10 mil km – pode variar;
Pneus – A cada 5 anos ou conforme desgaste;
Velas – Podem variar de 15 mil a 100 mil km;

Obs: O óleo lubrificante varia conforme o tipo, se mineral, sintético ou semissintético, e a durabilidade também varia em função do uso do veículo.

Itens para serem inspecionados e trocados se necessário

Componentes que precisam ser inspecionados e trocados se apresentarem desgaste ou perda de função. São eles:

Água do limpador de para-brisa – De acordo com o nível;
Buzina – Se for danificada em alagamentos;
Cintos de segurança – Se estiverem desgastados;
Embreagem – De acordo com o carro, manual ou automático;
Estepe – Calibrar a cada 2 meses;
Fluído da direção hidráulica – De acordo com o nível;
Fluído do freio ou óleo do freio – Medir o nível de contaminação;
Limpadores de para-brisa – Conforme o desgaste das palhetas;
Luzes – Verificar faróis, lanternas, luz da cabine, luz das setas e luzes do
painel;
Pneus – Conforme o desgaste dos sulcos;
Sistema de carga Bateria – 2 anos;
Sistema de freios – Desgaste de pastilhas, discos, ou lona e tambor;
Sistema de suspensão – Desgaste de amortecedor, bandeja, pivô, articulações e molas;

Além destas indicações, é muito importante consultar o manual do seu carro. Nele estão as informações de manutenção e os produtos específicos que devem ser utilizados no seu carro.

Faça a manutenção preventiva para evitar a corretiva, com maiores problemas.

A manutenção preventiva é muito necessária. Na revisão regular são feitas várias checagens da manutenção preventiva, que já garantem que o veículo esteja em boas condições de funcionamento. A manutenção regular preventiva evita quebra dos componentes e reduz em muito a necessidade de manutenção corretiva, ou seja, o conserto ou a troca de peças de alto custo que se danificaram.

A manutenção corretiva é sempre mais cara que a preventiva. Por isso, dizemos que a manutenção preventiva é “econômica”. Os itens de troca obrigatória são os fluídos e peças que têm tempo de validade, porque se degradam com o uso, como o óleo do motor e o filtro de ar. Portanto, sua substituição é obrigatória.

FONTE: [seguroauto.org]